19 março, 2007

Fiscal de Socrates

O governo quer, e bem, que todos e cada um seja um garante da correcção da actuação dos agentes económicos.
Infelizmente se a correcção fosse um bem prezado não seria necessário.
Agora vou voltar um pouco à questão.
Pedem ao consumidor para exigir a respectiva factura referente às compras e pagamentos que efectua.
Não seria inteligente existir um "rebuçado" como incentivo?
Há uns anos podia ser deduzido com reembolso até 50 euros (julgo) em despesas com alimentação.
Já no ano fiscal de 2005 (e também em 2006) essa benesse desapareceu.
Observando por outro "prisma".
Eu até andei a pedir em 2006 as respectivas facturas em cada refeição que fazia "fora". O que faço agora a todos aqueles papeis? Onde está a ecologia? O papel que foi gasto, a tinta, os tinteiros, etc. ?
Para ir tudo agora para o lixo?
No meu caso ainda vai para o "papelão". E nos outros?
Tenho de ficar com a recompensa mental e algum "conflito".

15 março, 2007

Novos dias se aproximam

Será que ando a sonhar?
É cada dia nova noticia que nos agrada plenamente.
A de hoje é que vão acabar os ridículos pagamentos de contadores (água, luz e gás). Pode ler a novidade aqui.
Uma entidade se quer cobrar um produto/serviço por meio de medida tem de ter capacidade de medir. É um custo do exercício, não pode estar a imputar essa responsabilidade ao consumidor.
Já viram o que era ir ao mercado e pagar uma "taxa" por a peixeira nos pesar o carapau ou o cherne?
Há uns tempos já se tinha acabado com o "aluguer" do telefone pela PT. Nessa área ainda falta a "assinatura".

Melhores dias se vislumbram.

:)

14 março, 2007

08 março, 2007

Que sorte que tenho com os CTT





"Código Postal, é meio caminho andado" este era o slogan a quando do lançamento desta obrigação há uns longos anos.
Depois vieram as modernices e acrescentaram mais 3 dígitos para que desta forma ficasse mais restrito o local.
Assim "era certinho direitinho" e a correspondência não tinha nada que errar.

Eu é que tenho um azar dos diabos. Volta e meia (tipo os cães para se deitarem) lá vão as encomendas, das quais eu sou o destinatário, parar ao centro de distribuição errado. A CTT Express teima em não fazer caso do código postal com os 7 dígitos. E anda sempre à nora para dar com a morada. Primeiro porque foi ter ao centro de distribuição que não faz a zona onde moro. Depois porque, claro, esse centro não dá com o destino.

Desta vez consegui o nº do tracker fornecido pelo remetente (lá tive de pagar uma chamada) e com ele descobrir onde andava o estafeta. E ele lá fez o favor de deixar a encomenda num café perto da minha morada postal.

Esta foi a jornada de ontem. Hoje a ver se começo a fazer a "crónica" ao provedor dos CTT. Não que creia que dê em algo (como não deu com o relatado em Provedor dos CTT ).

Assim é que é

Acabo de encontrar uma noticia (num sito que nem é usual ter noticias que não sejam parciais e deturpadas) sobre um grupo, que veio questionar sobre o cumprimento ou não de deveres assumidos pelas operadoras a quando da assinatura dos contratos 3G.
Como julgo ser correcto, reencaminho para a leitura da noticia no Tek.sapo

O meu grande aplauso e aguardo atentamente pelas respostas. Espero que o Grupo Português pelas Iniciativas em Acessibilidade (GUIA) mantenha a posição.

01 março, 2007

Umbra e antumbra


É bem verdade que todos os dias se aprende alguma coisa.
Mas afinal acabo de descobrir que o Junk mail também tem coisas positivas.
Como gosto de saber coisas fui à procura de uma palavra que me deparei num dos muitos e-mail de "lixo" que recebo por dia.
A palavra é "umbra".
Como gosto de partilhar aqui vai. Wikipedia-Umbra
Agora todos ficarão a saber a origem a palavra penumbra .